HISTÓRICO

PORQUE ESTE PROJETO AINDA NÃO SAIU DO PAPEL ?

O MOTIVO E AS PROVAS, ESTÃO AQUI.   VEJA:  

QUEM ESTAVA NO COMANDO DA PMN

NO EXERCÍCIO DO CARGO, ARBITRARIAMENTE PEDIU

R$ 2,400,000.00 (DOIS MILHÕES E QUATROCENTOS MIL DÓLARES AMERICANOS)

PARA APROVAR O PROJETO PRAIA DA MAÇÃ

O FATO FOI DENUNCIADO AO MP COM PROVAS, MAS ATÉ HOJE ESTAMOS AGUARDANDO.

 

Está imoralidade foi denuncia ao MP e até hoje, estamos esperando a JUSTIÇA prevalecer para dar continuidade ao projeto.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 Em 1981, Osvaldo Gomes Bomfim, o nosso personagem Osvaldo da Maçã, do Livro Semeando Sonhos, dono da ACRM – imóveis, corretor de imóveis, foi contratado pelos proprietários Vital Ramos de Castro e outros, para a venda de  6/6 da propriedade de uma Gleba de 122.000 m2 do terreno situado no Morro do Morcego, o que eu chamo de Morro da Maçã..  Na ocasião, como será contada esta história no Livro Semeando Sonhos, o Osvaldo da Maçã foi contratado pela família do Sr. Vital Ramos de Castro para promover  venda do imóvel. Naquela época, o terreno foi apresentado ao cliente  o Sr. Nelson Gomes de Almeida, que ali pretendia fazer um Condomínio Ubá – Jurujuba.  Mas a Prefeitura  não aprovou o Condomínio e o Sr. Nelson Gomes de Almeida, desistiu.

Em 1985, o Vital Ramos de Castro e os proprietários do imóvel, fizeram um projeto de um Hotel com marina no terreno do Morro do Morcego, deram entrada na PMN, mas a Prefeitura não aprovou.

Em 1992, Naquela época Luis Francois Bernard Massé,  o Sr.  Vital Moura de Castro e outros  proprietários do imóvel, situado na da Estrada Eurico Gaspar Dutra, 62 - Morro do Morcego contrataram o corretor Osvaldo Gomes Bomfim para vendê-lo.  

Em 28 de Novembro de 1994 – O nosso personagem Osvaldo Gomes Bomfim, contratou o arquiteto para fazer o estudo e  viabilizar o negócio com o terreno. Resolver fazer a Consulta Prévia na Prefeitura de Niterói para saber o que poderia ser feito naquela área situada na Gleba  do Morro do Morcego .

Em 28 de novembro de 1994, - Nova Consulta foi feita  à Prefeitura de Niterói, para saber o quê poderia ser feito no Morro do Morcego  dentro da Legislação o eu a PMN autorizava fazer:  Loteamento, Plano de Vilas, Módulos  e pediu para atualizar certidões anteriores.  

Em 15 de Maio de 1995 – Osvaldo Gomes Bomfim,  fez outra Consulta Prévia  para saber se poderia fazer um Parcelamento de Solo em  forma de Loteamento.  O Osvaldo da Maçã fez, dentro da Legislação,  o Projeto  do  Residencial Praia da Maçã  e a PMN aprovou 24 dos 25 Lotes do projeto Original. Quando o nosso personagem viabilizou os investidores, o prefeito na época,  João Sampaio, convidou o Osvaldo para comparecer na Prefeitura e disse que não interessava à Prefeitura aquele Projeto Residencial, porque a área era de especial Interesse turística e ambiental.  Que o nosso personagem fizesse um projeto turístico que seria aprovado. 

Todas as consultas que foram feitas para viabilizar o aproveitamento do terreno.  Afinal de contas, não tem como vender ou negociar um terreno, sem que se saiba o retorno dele. Não se tem parâmetros para fazer um EVTE –Estudo de Viabilidade Técnica e Econômica. O pior disso tudo é que a Prefeitura de Niterói levava 1(hum) ano para dar a resposta na Consulta. É um absurdo!!

Em 27 de  Março de 1996 –Finalmente, Osvaldo Gomes Bomfim e conseguiu uma Consulta Prévia “Aprovada” para Implantação de Complexo Turístico e de Lazer “Praia da Maçã “ no Morro do Morcego. Obteve um parecer favorável da CAEMA. Até então, todo o trabalho e investimentos do nosso personagem de 1981 à 1996 (15 anos) tinha corrido por conta do Osvaldo da Maçã.  Até então,  quem tomava conta do terreno era o  Sr. Arício, antigo caseiro dos  proprietários.

Em 22 de Maio de 1996 – Finalmente, uma a Consulta Prévia “Aprovada” – com o   Parecer  favorável da CAEMA – Comissão de Análise e Meio Ambiente da Prefeitura de Niterói para a  implantação de um complexo turístico, criado pelo Osvaldo da Maçã. Como na área havia uma pequena praia sem nome, o Osvaldo denominou aquela pequena praia existente no local,  de PRAIA DA MAÇÃ e o projeto foi denominado “Projeto Praia da Maçã”, a área agregou valor,  mas para continuar o trabalho, o nosso personagem,  exigiu um Contrato dos proprietários para continuar investindo no desenvolvimento da área e para garantir o retorno de seus investimentos em arquitetos, engenheiros e demais despesas.

Em 25 de Março de 1996 – Os proprietários assinaram um contrato de Locação de 10(dez) anos com o Osvaldo Gomes Bomfim, para desenvolver à área e garantir o retorno dos seus investimentos em estudos e projetos. Foi fixado um aluguel simbólico mensal de R$ 1.000,00 (hum mil reais).  Então, o Osvaldo da Maçã,  investiu  pesado nos projetos e passou a anunciar nos Jornais de Grande circulação do Rio de Janeiro. 

 

Foi no “Jornal o Globo”, que o NOSSO PERSONAGEM,  O DA MAÇÃ,  conseguiu um Grupo Chinês PARA INVESTIR NO PONTAPÉ INICIAL U$ 24,000,000.00.(VINTE E QUATRO MILHÕES DE DÓLARES AMERICANOS)

Com os anúncios vieram o Grupo Investidor Chinês para investir U$ 24,000,000.00 (vinte e quatro milhões de Dólares Americanos) na primeira etapa.

Mas o Secretário pediu U$ 2,400,000.00(dois milhões e quatrocentos mil dólares americanos) para aprovar o Projeto Praia da Maçã.

Como o dinheiro não foi dado, o PROJETO FOI ENGAVETADO CRIMINOSAMENTE, causando enormes prejuízos ao Município, Estado e União, que deixaram de arrecadar milhões em divisas e impostos.

                                                                 A EMPRESA QUE VAI FAZER O TELEFÉRICO DE NITERÓ

I

Enviar comentário

center fwB||||||news|c05 normalcase uppercase fwR|b01 c05 bsd|login news c05 normalcase uppercase|c05 tsN normalcase uppercase|c05|content-inner||